Presente

Presente

Sentado numa ilha

Observo a vida passar

Sem nenhum carro para incomodar

Não tenho futuro só o presente!

Cada pessoa que passa possui uma história para contar

Muitas vieram de outros continentes

De onde as pessoas são menos contentes

Sentado na frente de uma cruz,

Que está entre mim e o mar,

Vejo o mundo passar.

A cada movimento que fazemos

Geramos o passado

Que pouco antes era o futuro,

Esta transição inexistente é o presente.

Talvez só tenha este nome

Pois é um presente estarmos aqui.

Mas nunca nos esqueçamos de que ele não existe!

Rao Caiuá B. Mardegan   (Ilha Grande – 31/10/08)

Anúncios
Publicado em Poemas | 2 Comentários

Perguntantes

Perguntantes

Somos seres perguntantes…

A diferença entre os seres inumanos

Está somente nas perguntas que criamos:

Como posso melhorar?

X

Quantas você beijou?

Não cabe a nós julgarmos,

Mas podemos questionar,

Perguntar.

Assim poderemos “gerar” respostas transformadoras

Causando outras perguntas mais profundas.

Talvez assim possamos mudar

De uma sociedade capetalista,

Para uma baseada no amor!

Rao Caiuá B. Mardegan     (Ilha Grande – 31/10/08)

Publicado em Poemas, Sem categoria | Deixe um comentário

Superficiais

Hoje somos pessoas que vivem com medo.

Temos medo de vivenciar,

Travados pelos mais diversos bloqueios

Raramente trocamos olhares com um estranho

Abraçamos um grande amigo de verdade

Amamos

Somos superficiais!

Vivemos ainda na dimensão material

E nos perdemos quando pisamos no emocional

E não fazemos idéia da dimensão espiritual

Somos movidos pelos desejos e medos

Mas já passou a hora de acordar

O que você faz aqui?

Qual seu propósito de vida?

Mas não responda no físico-mental

Não quero saber superficialmente

Só o profundo, o Real é que importa

O resto é só mais uma resposta ilusória.

Publicado em Poemas | 2 Comentários

Quem eu sou???

Monólogo : Quem eu sou?

Responda-me uma coisa:
Vocês vieram aqui com qual intenção?
Já que poderiam ter ficado em casa
E ver alguma porcaria na televisão.
——-//———
Já que vocês estão aqui
Sem idéias, não vão sair.
Pois tenho uma tarefa
E vou tentar cumprir.
Quem eu sou
É o que eu quero descobrir,
Por isso vamos refletir.
——-//———
Quem sou e por que sou?
Pergunto-me isso não sei o porquê?
Já sei! Vocês é que vão me responder.
Como? Não interessa! Eu quero saber!
——-//———
Então o mundo me responde:
– Você é um aluno do Brasílio Machado
Tem 16 anos e muito talento.
Que bom! Já sei quem eu sou!
Mas acho que não sou tão talentoso assim.
Esquece! Vocês falaram como sou,
E é assim que vou ser!
——-//———
Isso acontece a toda hora
Do momento em que surgimos
Até irmos embora.
E você? sabe quem é?
——-//———
Quem realmente souber
Levante-se agora!
Parabéns! Mas não é isso que temos que fazer.
Pois não devemos saber quem somos
E sim ser o que somos.
Mesmo assim, pergunto me:
Quem eu sou?
——-//———
Talvez eu não seja nada.
Para ver isso, compare-se ao universo
Você simplesmente desaparece.
——-//———

Talvez ele seja do tamanho da Terra
E ela do tamanho de um grão de areia.
Difícil imaginar, né?
Agora o universo
é do tamanho de um átomo de oxigênio
E, ao seu lado estejam infinitos átomos.
——-//———
Agora eu sei quem eu sou.
Um aluno do Brasílio Machado
Tenho 16 anos e sou um pouco talentoso
Sei que vou morrer
Quando não interessa
Um dia eu vou saber.
Curioso? Percebi que não sou nada
Que penso que sei o que sou.
——-//———
Eu penso porque assim viro algo
Meu corpo vira energia
E minha mente recebe sabedoria.
O “penso” a que me refiro
Está relacionado à reflexão
E não à diversão
——-//———
Penso muito para escrever
Baseio-me no conhecimento
Que surge do pensamento
Gosto de ler
Mas nem tanto de escrever
——-//———

Escrevo pois me obrigo
Tenho a obrigação
Com um futuro ”Amigo”
Que talvez eu só conheça
Depois de morrer
——-//———
Nós, humanos,
Não nos valorizamos
Em vez de pensarmos, desejamos
E disso, proveito algum tiramos
——-//———
Talvez, agora, eu tenha descoberto quem sou?
Um aglomerado de células
Que juntas geram correntes elétricas
Que fazem nós sermos
Quem pensamos que somos
——-//———

Nós humanos somos egóicos
Só pensamos nos outros
E esquecemos de ser o que somos.
Falando isso alguém deve estar indignado
Porque pensa que é e é o que é.
——-//———
Devo ter escrito isso à toa
Pois se eu não sei o que sou
Como poderia escrever sobre quem eu sou?
Se há pessoas que em uma vida inteira
Só pensam que sabem quem são
——-//———
Esqueça do amanhã
E quem você é
Feche os olhos e vá,
Para onde quiser
Mas não veja,
Sinta onde está.
Impossível pois como sentirá a água
Se não a toca
Agora relaxe o corpo, e
Não sinta a roupa que veste
——-//———
Faça isso todo dia
Até deixar de pensar o que está fazendo
E assim poderá descobrir
quem você realmente é.

Eu prometo que um dia descobrirei quem eu sou.

Rao Caiuá B. Mardegan (2004)

Publicado em Poemas | 4 Comentários

Diário do processo dos 21 dias

Diário do meu processo dos 21 dias (Rao)

Antes de começar o processo foi um pouco tumultuado. Achamos um lugar em Terra Ronca, mas de noite o lugar era bem sinistro, tínhamos uma outra opção na cidade mais próxima, então fomos para lá (São Domingos, GO).
Chegando na cidade a casa já estava alugada, daí começamos uma puxada busca de um local. Os poucos que encontramos ou o dono não queria ou não estava em condições para o processo. No fim depois de um dia e meio andando por toda cidade debaixo do sol escaldante, encontramos um local, 300 reais, mas sem mobília. Mas nos viramos. Nos mimamos muito antes do processo. Somos 5. vou intitulá-los como números para preservar a identidade, mas éramos 4 homens e uma mulher, um dos homens era quem iria ser o responsável, este decidiu ficar no seco.

 

1 Dia 12/07/09

Um pouco antes da meia noite, enquanto meus colegas iam jantar uma bela pizza, transpirei muito no saco de dormir, morria de calor mas os pernilongos caiam em cima em qualquer brecha que eu deixasse.
A noite foi bem difícil, acordava toda hora com os pernilongos, e dor no corpo, pois há mais de uma semana dormíamos no chão, eu sem nada.
De manha até acordei disposto, limpei o quintal e depois fui ler o livro do Oberom. Depois de algumas páginas senti sono e deitei num sofá bem velho que ficava do lado de fora da casa. As dores intensificaram, comecei a suar frio, quando fui ver estava com febre, e uma sensação horrível no corpo. Passei o resto do dia assim, uma super franqueza e muita sede dês de que acordei.
O dia todo em repouso. As 6:30 fizemos nossa oração, li mais um pouco e fomos dormir.

2 Dia 13/07/09

Acordei muito durante a noite, cheguei a levantar, sentar e quase bebi água, mas me segurei.
Ao levantar cedo, tomei um banho, alivia muita a dor no corpo. A febre passou, mas ainda dói bastante a articulação. Comecei a sentir um certo incomodo na região abdominal. Fizemos a oração, tomei um banho e fui dormir, meio sem sono. Fiz um pouco de macramé depois e antes do banho.

3 Dia 14/07/09

Fui o primeiro a acordar, li um pouco e depois tomei um banho. Li mais, terminei uma pulseira. Deixamos exposta no muro da frente da casa nossas artes com o nosso responsável. O dia está sendo muito tranqüilo. A sede já faz parte da rotina, estou recuperando da febre. Hoje todos começaram a ficar meio zonzos. Iniciei uma outra pulseira. Outra coisa que faz parte da rotina é o tédio, o corpo também está começando a dar respostas mais lentas, e aos poucos estamos nos acostumando na ficar sentados ou deitados, mas isso gera um probleminha, toda vez que levanto minha pressão cai, tenho que tomar mais cuidado.
Tenho urinado em média de 2 a 3 vezes ao dia, e só fiz necessidades sólidas na noite anterior ao inicio do processo.
Antes de dormir fiz um relaxamento, tive uma sensação de entrega e união com tudo e todos. Foi uma experiência bem intensa. Entrei em voto de silencio, pretendo mantê-lo até a água.

4 Dia 15/07/09

Acordei muito de noite, não conseguia dormir. Lá pelas 4 da manha levantei e fui fazer macramé. O meu amigo 1 levantou muido, e pediu minha pequena espuma já que eu dei a entender que ia ficar acordado. Depois de um tempo decidi ir dormir no sofá de fora. Acordei com o sol quente. Nesta noite tive muitos sonhos com pessoas do ENCA, como se eu estivesse nele ainda. Sonhei que comi, e com bastante mel.
Ao acordar terminei a pulseira e iniciei um colar, que surgiu de um super pico de criatividade criado pela insônia, e fui fazê-lo. A pedra que escolhi é muito especial, peguei dentro do maior útero da mãe terra que já vi, e estou fazendo ele para mim.
Hoje as 10h ficamos duas horas deitados, de inicio cantei 7 rondas do maha mantra, cada ronda com 108 mantras, e depois me entreguei. Novamente tive uma sensação de entrega, sem explicação, um momento de entrega para o processo.
Até agora não estou tendo muita dificuldade mas estou cansado para escrever, estou meio desanimado para tudo.

Niver 5 Dia 16/07/09

Tive bastante insônia, decidi dormir lá fora para não incomodar ninguém.. Varias ventanias e muitos sonhos novamente. Acordei com o amanhecer, fraquinho ainda, assim fiquei um pouco lá. Não vejo a hora de beber água. Ontem me segurei, mas depois tudo fica tranqüilo. Tinha que lavar roupa, mas ta bem difícil, principalmente ficar em pé. Estou acostumando a ficar deitado o tempo todo, vou enfatizar isso um pouco.

6 Dia 17/07/09

Hoje nem escrevi, estou escrevendo no 7 dia. Tivemos duas surpresas. Ontem logo depois da Oração o amigo 2 pirou, desistiu, pois queria ver a avó que fazia 2 anos que não via e que estava muito doente, as 6 da manha foi embora. E a única mulher que cedeu a noite, bebeu um montão de água. E acordou falando que havia parado. Quebrei meu jejum de silencio e falei até demais. Tivemos uma visita na oração bem especial, Tirando estes acontecimento foi tudo muito tranqüilo.

7 Dia 18/07/09

Ultimo dia de seco, tivemos visitas aqui.
Dormi com o amigo 1 lá fora, as 7h nossa amiga foi para DF, para o vale do amanhecer, talvez depois do processo eu vá também. Tenho pensado em uma menina que conheci no ENCA, mas ainda não rolou nada. Ontem e hoje tive e venho tendo vários pensamento de que fazer depois do processo, tento limar a mente mas é difícil as vezes, principalmente a hora da insônia. Depois da oração tomamos água, e depois senti uma das melhores sensações possíveis tomando água de coco. Fizemos um suco de limão. E comecei a ler o evangelho essênico da paz.

8 Dia 19/07/09

Acordei depois de uma noite mais dormida, e li bastante, o dia inteiro. Fizemos um suco de mamão delicioso. Tivemos uma grande surpresa, uns 20 amigos do ENCA, que estão meio de passagem nos visitaram, iam fazer uma apresentação na praça. No fim tivemos uma bela revelação, um amigo que estava com o pessoal comentou que estava no 3 dia de seco e pediu este para ficar, agora estamos com mais um tripulante na casa. Ontem tivemos outra revelação, nosso acompanhante disse que iria seguir viagem pois precisava voltar, então depois de amanhã ele parte, agora somos três. Ainda estou um pouco fraco e estou evitando fazer esforço. Hoje a música alta não perdoou. Dormi bem tarde e acordei com bastante frio.
Estou pretendendo terminar de ler o evangelho essênico da paz logo pois é emprestado, estou achando fascinante.
Fizemos a oração com nosso novo companheiro, e fizemos uma lista do que precisaríamos amanhã. Vou ler um pouco e depois dormir.

9 Dia 20/07/09

Tive sonhos muito intensos, lembro só das parte mais fortes, no primeiro estávamos num lugar parecido com o ENCA, daí cheguei em um poço raso onde todos escorregavam e caiam no poço, nessas um maluco pulou de ponta, mais caiu do que escorregou, mas nada aconteceu. No impulso outro pulou também foi uma queda feia, mas ele não levantou, dizia que tinha batido a cabeça, daí vi sua testa sangrar e comecei a gritar para que estava lá em baixo, depois de alguns segundos ele estava envolvido por sangue.
O outro sonho foi uma sensação mais intença. Lembro que a parte mais forte foi assim: Estava com um grupo de jovens e crianças, e numa situação um menino de uns 5 anos pediu para ajuda-lo que ele estava com a mão machucada, quando fui ver tinha farpas enormes, e ele já estava com ela a tempos e firme, pedi para alguém tira-las pois passo mal com sangue, no fim peguei uma pinça eu mesmo e tirei. Ele só deu um gemidozinho na que estava pior, depois me abraçou, daí veio a sensação loca. Me senti como pai dele, pois ele não tinha pais, cada hora alguém cuidava dele, o abracei e comecei a chorar dizendo que nada de mal iria acontecer com ele de novo, que eu iria protegê-lo, mas a sensação era realmente como se ele fosse meu filho, muito forte. Daí acordei, depois dormi e sonhei de novo, no fim consegui ficar com ele, mas precisei encontrar uma amiga para ser a mãe dele nos papeis, etc.
Durante o dia tivemos muitas visitas, assim foi difícil manter o silencio, as vezes o amigo 1 me enche dizendo SILENCIO, mas estamos nos entendendo, durante o dia fui varias vezes ao banheiro, fazendo muito pouco necessidades sólidas, e quase como uma diarréia.
Dormimos os 3 fora da casa, coisa que faço há +- 5 dias.

10 Dia 21/07/09

Novamente sonhos muito intensos, muitos amigos, mas a parte mais forte foi assim: Estava eu e meu irmão Felipe como sempre fazendo umas lutas, sempre na brincadeira, daí em algum momento ele me travou, como sempre achando que eu não iria me soltar, e duvidou. Mas não consegui me soltar como sempre acontece, fiz muita força me contorcendo para sair, daí acordei, com o corpo todo contraído, fazendo força, como se ele ainda estivesse me prendendo.
Levantei tomei um banho, e pela primeira vez sai na rua, fui comprar um suco, cupuaçu e um de amora para o amigo 1. combinamos de fazer silencio total na hora de cura no amigo 3 (o que chegou por ultimo), das 10 as 12h, 13 as 15h e das 16 as 18h. Depois da oração tive uma conversa mais seria com o amigo 1, pois qualquer coisa que falo ele reclama, no fim com ajuda do amigo 3, chegamos num consenso de só falar o necessário e conversar depois da oração.

11 Dia 22/07/09

Tive sonhos mais leves, queria meditar de noite mas os pernilongos não deixam, então decidi armar a barraca, para continuar dormindo lá fora. Liguei para minha vó, para passar a conta do amigo 3, para ela depositar uns 100, 150 reais que deixei com ela para emergências, pois daí posso ficar mais tranqüilo no fim do processo, e se quiser voltar, não ter que esperar vendar para juntar o dinheiro.
Hoje tomei muito suco. Fiz uma pulseira, e mais 5 simplezinhas. Conversamos bastante de noite e fomos dormir.

12 Dia 23/07/09

Metade do caminho foi percorrida. Tive um sonho em que em eu meio que roubava um senhor, mas tudo foi diferente. Um cara falou para irmos ao cafezinho, subimos no ape onde estava fazendo o café, abrimos a porta arrombando sem barulho e entramos. Procurando alguém, encontramos um senhor com muitos aparelhos tecnológicos bons, notboock etc. tudo de primeira. Ele super calmo falou que podíamos levar tudo. Depois de pegar tudo, perguntei se havia mais algo de valor, ele falou de um bonequinho de pelúcia que tinha a muitos anos, peguei o celular dele, mas devolvi o chip, a carteira, mas só peguei o dinheiro, e acordei. Sei que íamos para tomar um cafezinho, loco, estava com uma faca.
Levantei, fiz muito xixi lá fora, pois o amigo 3 estava no banho e eu estava segurando dês das 4h. Estou escrevendo e vou buscar o suco.
Tomei um suco de manga, e depois fiz algumas pulseiras, 4. na volta do suco comecei a sentir meu caroço doer (um caroço que tenho de cartilagem no meio da sola do pé, muito sensível), por isso decidi dedicar-me a cura, até o 14 dia pelo menos, e só ler durante esse período.
Essa semana senti muita saudade de minha família, não vejo a hora de velos. Sou um ser muito livre, dificilmente sinto saudade, e é bem diferente esta sensação. Hoje a tarde foi muito louco, estava com aquela dor muito forte no pé, daí quando estava deitado, pedi para este caroço ser curado, sumir do meu pé, e agora que levantei a dor quase sumiu, espero que não volte.
Dividi um suco de pêssego com o amigo 1. as 18h o amigo 3 deu seu primeiro gole de água, fizemos a oração e eu e o amigo 1 contamos o porquê e como chegamos e estamos fazendo o processo.

13 Dia 24/07/09

Acordei e fui buscar o suco, no caminho me pesei, estava com 50,3kg, meu normal é 55 a 57kg.
Hoje sonhei com a natureza, cavernas, mar, e também com a faculdade, nada de mais nos sonhos.
Ontem a oração foi na fogueira, e também montei a barraca, onde dormi esta noite, vou continuar focando o dia para a cura ainda.
Fiz uma lavagem intestinas, deu uma boa limpada, e na hora do banho quando esfreguei a cabeça com a unha, percebi que estava com alguma crosta na cabeça, provavelmente células mortas, mas tinha muito mesmo, fiquei um bom tempo esfregando, para tentar tirar tudo., eu e o amigo 1 buscamos um galão de água, que por enquanto foi o maior esforço que fiz durante o processo. A tarde foi bem difícil para mim. A saudade ficou bem forte, veio muita coisa relacionada a doce, e muita vontade de jogar alguns jogos de RPG no computador. Pensei bastante em largar tudo, sabe, e voltar, e ter minha vida como antes, decidir o penso em fazer em relação a facul, etc. Mas sei que isso era o EGO trabalhando no meu emocional, o difícil foi fazê-lo parar. Por fim, entrei e comecei a buscar uma razão inspirador lendo o livro “Viver de luz”, daí estes pensamentos acalmaram, e foi tudo tranqüilo.

14 Dia 25/07/09

Hoje o dia foi tranqüilo, tomei quase 4 litros de suco, falei com minha avó, a tarde deu um pouco de tédio, e comecei a fazer um mapa mental, para observar as coisas que realmente quero, mas estou pedindo ajuda também para meus mestres me indicarem, assim será. Liguei novamente para ver se falava com minha mãe, mas ela não estava, e falei com meu irmão.

15 Dia 26/07/09

Acordei tomei um banho e sai para caminhar, queria pegar o nascer do sol, mas quando cheguei na beira do lado ele já havia nascido, contemplei a bela paisagem, um lago, e ao fundo a chapada, depois fui para o outro lago. Chegando no fim, parei perto de uma ponte, toquei minha flauta até chegar outros serem humanos, daí sai e voltei contornando o primeiro lago. Passei na casa peguei a jarra e fui buscar o suco, chegando lá a lanchonete estava fechada fui atraz da padaria, e nada de suco também, daí voltei fiz uma limonada e fiquei fazendo pulseira, deixei exposta minha asa, mas a cidade estava parada, hoje começam as festas e é tipo um feriado.

16 Dia 27/07/09
Hoje não quis caminhar, fizemos um suco na padaria, mas ficou caro e decidimos não mais tomar lá (4 reais) daí a tarde conversei bastante com o amigo 1 sobre arte. Ontem de noite falei com minha mãe.
Durante a oração, tive uma imagem do que quero fazer depois do processo. Tinha feito uma mapa mental, e durante a oração o amigo 1 por acaso usou ele para colocar de baixo do incenso, quando vi o incenso estava dividindo exatamente os planos, São Thomé e São Paulo, do lado de SP estava a sombra da fumaça, representando a poluição e a vela ficou do lado de STL, Floripa ficou bem no meio. Durante a noite anterior, veio uma idéia do que eu poderei fazer, daqui vou para sampa, lá vou juntar um dinheiro e encomendar o quanto der de Bolos Trunfados e cavacas, e vou vende-los em STL, Quero fazer bastante calças em SP, antes da festa de AGOSTO, quero vender uns 200 bolos umas 200 cavacas, vai me custar +- 500 reais, e com o lucro penso em comprar meu PC. Pois quero ficar em STL até o fim do ano, e decidir melhor em relação a facul. Vieram 3 amigos esta noite, conversamos e fomos dormir.

17 Dia 28/07/09
Acordei e fui ver o sol nascer, toquei flauta e didgeridoo, voltei, busquei, busquei um suco e li até tarde a bíblia, li o Gêneses e o começo do Êxodo. Sai de tarde para ver o por do sol, no fim encontrei o pessoal que estava tentando ir para Alto Paraíso de carona, conversei, e comecei a voltar, senti uma vontade de correr e aproveitando a situação de que iria chegar atrasado para a oração, corri. Cheguei faltando 5min. Durante a oração lembrei muito do Felipe (meu irmão), e caiu uma fixa de responsabilidade que tenho com ele. Conversei muito com o amigo 1 depois da oração, +- até 23:30h. Dormi no sofá mesmo, depois de muitos dias dormindo só lá fora.

18 Dia 29/07/09

Quase fiz xixi na cama, pois sonhava que urinava, daí acordei me segurando para não escapar, depois dormi novamente. Fiquei bastante tempo deitado. Levantei e fomos buscar o suco, o amigo 3 finalmente saiu, não havia dinheiro na lotérica para sacar-mo9s, e voltamos. Li o Bhagavad-Guita, falava exatamente o que estava conversando na noite anterior com o amigo 1, e meditei. Comprei um mel para levar para sampa, e só li, o resto do dia.

19 Dia 30/07/09

Acordei mais tarde e fui ver se encontrava chá de 2l, nada, então comprei um suco mesmo, li bastante o Guita. Sai a tarde com o amigo 1 para ver o sacoleiro, mas nada, falaram para ligar amanhã. Decidi me entregar mais a deus. Li mais e dormi.

20 Dia 31/07/09

Acordei, caminhei com o amigo 3 até a igrejinha, voltei fui buscar um suco, li, meditei, lavei roupa, Pensei bastante em comida, acho que vou comer quando sair, não sei, estou decidindo. Pensei em entrar na net para fazer uma faxina no e-mail, mas vou deixar para o domingo. Nestes últimos dias, hoje foi o que menos li, em compensação pensei bastante em como vai ser depois de amaná, se vou comer!?! Se arrumo as coisas amanhã ou domingo, fiquei com vontade de entrar na net, jogar videogame, etc. Coisas que não faço a um tempão.

A noite foi bem complicada por causa do barulho. Saímos um pouco para tomarmos um suco de laranja e voltamos. Pensei bastante em comida da tarde para noite.

21 Dia 01/08/09

Hoje o dia foi mágico, acordei caminhei, li o Guita na beira do lago/ rio, voltei tomei suco, etc. A boa noticia foi quando entrei na net, pois penso em sair cedinho para Terra Ronca amanhã. Tava pensando em juntar uma grana para comprar um pc, mas falei com uma amiga (Pétis) e ela decidiu trocar num didgeridoo, num óculos (yoga para os olhos) e uma calça, e isso está na mão, tirando o óculos. Expliquei com quem tinha que falar para pegar o óculos mas Krishna providenciou o que eu queria, pensei bastante pensei bastante nesse PC e agora sei que ele irá vir, e tenho mais fé que as caronas já foram providenciadas.

 


Publicado em Alimentação Pranica | 3 Comentários

Saindo de casa

Enquanto durmo o mundo continua…

E quando acordo já não é o mesmo mundo que era enquanto eu dormia

O simples fato de ter uma consciência transforma o lugar…

Faz tudo girar em ondas de pensamento!

Enquanto eu dormia muita gente morria

Muita gente sofria… Sorria… Dormia!

Mas ninguém sabia onde meu pensamento se perdia

Senti uma crueldade enorme ao acordar

Como uma criança ao nascer, se prontifica a chorar!

Ao acordar tenho fome, tenho sede…

Ao acordar tenho tempo… Tenho o mundo!

Ao me levantar e pisar no chão

Senti uma alegria enorme penetrar em meu coração…

Não tinha rotina… Não tinha uma trilha!

Tinha mais um dia para viver… Mais pessoas para conhecer

Decidi viver aquele dia como se fosse o último de minha vida

Arrumei-me… E uma mochila nas costas coloquei

Nesta mochila tinha meu futuro!

Com os únicos dez reais que tinha no bolso um ônibus peguei

Para onde estava indo pouco me importava

Só sabia que estava partindo… Sem caminho, sem chegada!

Senti-me como uma águia planando na imensidão da paz

Partindo por uma estrada sem fim… Sem caminhos… Em liberdade

Voando e seguindo minha intuição

Deparei-me com outra sensação

Era como se fosse uma formiga… Que parte em busca de comida!

Se comunicando com suas companheiras que pela terra rodeiam!

Mesmo distantes umas das outras por alguns segundos nos encontramos

Pois coisas em comum procuramos

Novamente tinha que dormir… Mas não era tão fácil… Não tinha mais minha morada…

Mas neste instante apareceu alguém que me acolheu…

E a partir deste momento percebi, minha morada estava em todos os lugares…

Que minha grande casa era nosso planeta…

Desde então nunca mais me senti longe de casa

Pois nem saído dela havia ainda

Rao Caiuá B. Mardegan (01/07/2008)

Publicado em Poemas, Sem categoria | 1 Comentário